Featured article #02

wiki:silvio-santos (view original)

silvio-santos.jpg

Senor Abravanel (Rio de Janeiro-RJ, 12 de Dezembro de 1930), ou Silvio Santos, é um prestigiado apresentador de televisão e empresário brasileiro. Sua formação é técnico de contabilidade.

É dono do Grupo Silvio Santos, que inclui empresas como a Liderança Capitalização (administradora da Tele Sena), a Jequiti Cosméticos e o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

Outras Atividades

Silvio Santos foi, além de locutor, radialista da mocidade até a década de 1980, abandonando paulatinamente esta carreira em função da televisão.

Na década de 1970, gravou várias coletâneas de disquinhos de histórias infantis. Mais tarde os discos foram relançados em CD, com bastante sucesso.

História

Filho de pai grego, Alberto Abravanel, e mãe turca, Rebeca Abravanel, Senor Abravanel, o primogênito de 6 filhos, nasce no boêmio bairro da Lapa, centro do Rio de Janeiro (RJ), em uma família de origem judaica. Seu pai é proprietário de uma loja de artigos para turistas e sua mãe, dona-de-casa.

Anos 40/50

Aos 14 anos, em 1945, já é camelô, junto com o irmão Leon, que foi seu melhor amigo, e com um sobrinho de Adolpho Bloch. O 1º produto que começa a comercializar é capa pra título de eleitor (o Brasil está entrando na era democrática da República Nova, após a era ditatorial do Estado Novo). Ele compra cada capinha por 3 cruzeiros e a revende por 5. Animado, passa a vender canetas e outras bugigangas. Aos 18 anos, já é um dos camelôs mais famosos do centro do Rio de Janeiro. Ganha 3 salários mínimos por dia.

Um fiscal de posturas da prefeitura carioca, percebendo o potencial de voz de Senor, o convida a fazer um teste na Rádio Guanabara (atual Rádio Bandeirantes praça Rio de Janeiro).

Senor conquista o 1º lugar no teste da rádio, ganhando de nomes como Chico Anysio, José Vasconcelos, Celso Teixeira e Fernanda Montenegro, mas fica apenas 1 mês trabalhando de radialista, pois ganha mais como ambulante.

Aos 18 anos serve ao Exército como paraquedista, em Deodoro, Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ).

Sabendo que a carreira de camelô é incompatível com a de militar, Senor decide ser locutor de uma rádio em Niterói (RJ).

Percebendo que as viagens das barcas Rio-Niterói são marcadas pelo tédio, decide montar um serviço de alto-falantes nas embarcações. Senor toca músicas durante o trajeto e, nos intervalos, veicula anúncios que vende a bom preço.

Nas barcas para a Ilha de Paquetá, os passageiros fazem filas nos bebedouros d'água após dançarem as músicas tocadas por Senor. Este então tem outra ideia: faz acordo com a Antarctica para montar um bar e vender cerveja e refrigerantes. Na compra, o consumidor ganha uma cartela de bingo e concorre a prêmios como jarras e quadros.

Mas ocorre um acidente com a barca. Senor fica sem poder exercer seu trabalho. Endividado, é convidado pelo diretor da Antárctica a passar um tempo em São Paulo (SP).

Em São Paulo (SP), Silvio Santos se pôe a trabalhar como locutor de comerciais radiofônicos. Nos intervalos, vende anúncios em calendários que manda confeccionar aos milhares. Volta a ser dono de bar, no centro da cidade.

Em Dezembro de 1957, com o escândalo do Baú da Felicidade, Manoel de Nóbrega o vende a Silvio Santos. Os 2 são radialistas da Rádio Nacional (Atual Rádio Globo praça São Paulo).

Silvio começa a apresentar espetáculos e sorteios em caravanas de artistas. Como ele tem uma pele muito clara, fica vermelho com facilidade; por falar bastante, começa a ser apelidado "o peru que fala". As "caravanas do peru falante" ficam conhecidas em São Paulo capital, em cidades do interior e em outros estados.

Sua primeira experiência na televisão acontece em 1958, como locutor de comerciais das finadas Lojas Clipper

Anos 60

Seu primeiro programa na televisão, Vamos Brincar de Forca, estreia em 1962, na TV Paulista (Canal 5/SP), ocupando o espaço que pertencia ao palhaço Arrelia. Sua atração vira um grande sucesso.

Em 02 de Junho de 1963, começa a comandar o Programa Silvio Santos aos domingos, das 12 às 14h30.1

Em 1965, o dono da recém-criada TV Globo, Roberto Marinho, compra a TV Paulista, em um negócio suspeito. Em 1967, consegue a concessão. Em 1968, a transforma na TV Globo praça São Paulo. Silvio segue pagando aluguel pelo seu horário dominical, revendendo o tempo dos anúncios a outras empresas. Na medida em que aumenta o sucesso do Programa Silvio Santos, Silvio tem ótimos resultados financeiros. Realiza sorteios de carros, móveis e eletrodomésticos, o que motiva a expansão dos negócios do grupo.

"Quase tudo o que sei sobre o público, aprendi com um domador de circo. O público é como um leão, se você tiver medo, ele te devora!"
- Silvio Santos, em entrevista à Revista VEJA, em 1969.

Anos 70

Porém, no início dos anos 1970, Boni e Walter Clark, diretores da Globo, criam o chamado "padrão Globo de qualidade", investindo em filmes, esporte, jornalismo e novelas, e acabando com os programas independentes. Para os executivos, o programa de Silvio Santos destoa desse padrão.

Silvio começa a alimentar a ideia de ter uma emissora e quase sai da Globo em 1972, mas o próprio Roberto Marinho o convence a ficar, renovando contrato por mais 4 anos. Por este contrato, Silvio não poderia ser acionista ou dono de nenhuma outra emissora de televisão.

Ainda em 1972, a família de Paulo Machado de Carvalho, dona da TV Record, oferece-lhe 50% do canal. Silvio aceita fechar o negócio, sob uma condição: seu nome não poderia aparecer. Sociedade feita, ele continua na Globo. Mas sua relação com os diretores da emissora carioca atinge níveis glaciais – ele é o dono do domingo global, chegando a ficar 10 horas ininterruptas no ar, sem que houvesse uma contrapartida financeira à altura para os Marinho.

Em 1975, há um encontro entre a cúpula global e Silvio para decidir a situação. A Globo já sabe de sua sociedade na Record, na qual Silvio logo se tornaria majoritário. A Globo não quer que ele migre para lá. Depois de horas de discussão, não há acordo.

Silvio sai da Globo em 05 de Janeiro de 1976. Uma semana depois, estreia seu programa na TV Tupi (em rede nacional) e na TV Record (pra São Paulo).

Em 22 de Outubro de 1975, o Presidente Ernesto Geisel assina o Decreto nº 76.488, outorgando a Silvio Santos o Canal 11 do Rio de Janeiro. Silvio passa a transmitir seus programas simultaneamente na Tupi e na TV Studios, ou TVS.

Anos 80

Depois da falência da TV Tupi, em 1980, o Programa Silvio Santos em São Paulo é transferido para a TV Record.

Em 1981, através de um lobby com a primeira-dama Dulce Figueiredo, com quem tem longas conversas por telefone, Silvio Santos obtém a licença para operar o Canal 4 de São Paulo, que se torna a TVS da capital paulista. A partir das emissoras do Rio e de São Paulo, surge o embrião do SBT. A rede se expande rapidamente através de afiliações, mas o Programa Silvio Santos continua sendo transmitido simultaneamente pela Record, especialmente para alcançar o interior de São Paulo. A marca SBT passa a ser usada em toda a rede no final da década de 1980.

Em 1987, Silvio tem problemas com a voz, ficando praticamente afônico por alguns dias. Teve suspeita de câncer na garganta, não divulgada ou confirmada. Silvio chega a interromper um de seus programas para transmitir depoimentos emocionados e lembranças da sua carreira, incluindo particularidades sobre suas relações com o pessoal do Exército. Silvio faz um tratamento no exterior e fica algumas semanas sem gravar seus programas dominicais, causando preocupação de seus fãs quanto ao seu real estado de saúde. Mais tarde, quando Silvio retorna, o Governador de São Paulo, Orestes Quércia, grava longo depoimento congratulando-o, salientando assim a ausência sentida por todos os telespectadores.

Silvio não voltaria a ter problemas sérios com a voz, mas teme por seu próprio futuro como apresentador. Em 1988, Silvio assegura a permanência de Gugu Liberato no SBT, cobrindo uma proposta da Globo. Gugu passa a apresentar alguns quadros do Programa Silvio Santos e sua participação cresce expressivamente.

Também em 1988, Silvio Santos propôe sua candidatura a prefeito de São Paulo. Considerando seus recentes problemas de saúde, Silvio anuncia sua intenção como forma de retribuir à sociedade todas as suas conquistas como apresentador e homem de negócios. O anúncio é feito durante um dos quadros do Programa Silvio Santos; o episódio é amplamente divulgado pela imprensa. A candidatura, contudo, não se concretiza.

Em 1989, com a campanha eleitoral para a Presidência do Brasil já em andamento, vira candidato a presidente pelo pequeno Partido Municipalista Brasileiro (PMB), no lugar do candidato do partido, o pastor evangélico Armando Corrêa. Silvio chega a fazer algumas gravações para a propaganda eleitoral, pedindo votos para o número 26, do PMB, com insistência, pois não haveria tempo para mudar o nome impresso nas cédulas de votação. A alguns dias da eleição, Silvio Santos tem seu registro de candidatura impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por irregularidades no registro do PMB. Silvio filia-se ao PFL e ensaia participar de outras eleições ao longo dos anos, mas as brigas entre grupos políticos e os acordos e negociações inerentes à política fazem Silvio continuar cuidando exclusivamente de seus negócios.

Em 09 de Novembro de 1989, Silvio Santos e Paulinho Machado de Carvalho vendem a Rede Record para Edir Macedo. Neste momento, Silvio já tem o SBT consolidado nacionalmente, o que torna desnecessária a retransmissão do Programa Silvio Santos pela Record.

Anos 2000

Silvio Santos é homenageado no Carnaval de 2001 pela escola de samba carioca Tradição através do enredo "Hoje É Domingo, É Alegria. Vamos Sorrir e Cantar!", de Lourenço e Adalto Magalha. Silvio Santos desfila como destaque num carro alegórico num traje prateado. Outros artistas do SBT participam do desfile, como Lombardi. Com Silvio Santos na telinha, a Globo dá 39 pontos de audiência. Quando Silvio some, o ibope cai pra 23.

Em 21 de Agosto de 2001, a terceira filha de Silvio Santos, Patrícia Abravanel, é sequestrada na porta da própria casa, no Jardim Morumbi, em São Paulo (SP). Depois de alguns dias de negociação, o resgate é pago e Patrícia, libertada. O sequestrador Fernando Dutra Pinto acaba sendo perseguido pela polícia e mata a tiros 2 policiais. Sem ter para onde ir, invade a casa de Silvio Santos no dia 30 de Agosto; o apresentador está na sala de ginástica fazendo exercícios. O sequestrador mantém Silvio e toda sua família como reféns. Silvio convence o sequestrador a libertar rapidamente sua família e segue em cativeiro em sua própria casa durante 7 horas. Fernando só se entrega com a chegada do Governador Geraldo Alckmin em pessoa, que garante a integridade do criminoso. Alguns meses depois de preso, no dia 2 de Janeiro de 2002, Fernando morre em consequência de uma infecção generalizada causada por um corte profundo nas costas. Há indícios de que sua morte tenha sido causada por maus tratos e negligência médica.

Em Julho de 2003, de férias na cidade de Orlando, Flórida, Silvio Santos concede duas entrevistas polêmicas à revista CONTIGO!, afirmando que tem uma doença terminal e que restam-lhe apenas 6 anos de vida. Por isso, ele teria vendido o SBT para a Televisa e um grupo de empresários liderados por Boni e Alexandre Accioly. Alguns dias mais tarde, Silvio desmente tudo nos programas Boa Noite Brasil, de Gilberto Barros, na Band, e no Domingo Legal, de Gugu Liberato, no SBT. Disse que respondeu à entrevista em tom de brincadeira diante da insistência da repórter, e que acreditava que a revista notaria sua intenção.

Em 12 de Dezembro de 2010, é "interrompido" seu programa e colocado ao ar um especial feito por funcionários, suas filhas e amigos de Silvio, em homenagem ao seu aniversário de 80 anos. Narração de Marília Gabriela.

Anos 2010

Uma pesquisa feita em 2011 aponta Silvio como a personalidade mais admirada do Brasil.

No dia 30 de Novembro de 2011, Silvio perde em última instância o direito de executar "Silvio Santos Vem Aí", jingle que marcou sua carreira na televisão. Desde 2001, Silvio travava um processo contra o compositor da música, Archimedes Messina, disputando os direitos autorais.

Em Março de 2013 a revista Forbes inclui Silvio Santos na lista dos bilionários do mundo (1107º do mundo e 35º do Brasil), com um patrimônio em torno de US$ 1,3 bilhão (equivalente a cerca de R$ 2,5 bilhões), sendo a 1ª celebridade brasileira na relação.

Família

img-744932-silvio-santos20161108091478604998.png

Silvio foi casado com Maria Aparecida Vieira Abravanel, a "Cidinha", falecida em virtude de câncer em 1977, com quem adotou suas duas primeiras filhas: Cíntia e Silvia. Desde então, Silvio vive com Íris, esposa de seu segundo casamento, realizado no final da década de 1970, com quem teve mais quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata.

Silvio é descendente de Isaac Abravanel, um estadista judeu português, filósofo, estudioso da Bíblia e financista.2

Íris Abravanel (nascida em 1949) é uma empresária brasileira, dona da empresa Sisters in Law. Silvio tem tido uma relação tumultuada nos últimos anos com a esposa e as filhas, que se tornaram protestantes. Silvio, de origem judaica, chegou a se separar por breves períodos, quando morou em uma casa que tem nas proximidades do Ibirapuera, em São Paulo (SP).

Sua filha número 3, Daniela Beyruti, é uma das diretoras do SBT: de 2008 a 2010, diretora executiva; de 2010 até hoje, diretora artística e de programação.

Em 2006, durante as comemorações dos 25 anos do SBT, Silvio afirma oficialmente estar preparando sua filha número 4, Patrícia Abravanel, para sucedê-lo no SBT.3

A filha número 6, Renata, irá sucedê-lo como empresário, no comando do Grupo Silvio Santos.4

Silvio tem também um filho: Hugo Sergio Marques5, reconhecido pela justiça em 2007, depois da recusa em fazer teste de DNA. Hugo tinha direito a uma parte da herança de Senor Abravanel, assim que este falecesse. Infelizmente, Hugo morreu em 18 de Janeiro de 2015, sem que o Brasil o conhecesse.6

Mãe Filho (a) de Silvio Cônjuge
Cidinha Abravanel Cíntia Abravanel (1963- ) (divorciada) Paulo Gomes
Sílvia Abravanel (18 de abril de 1970- ) (casada) Edu Pedroso, da dupla sertaneja Téo e Edu (desde 2013)
Íris Abravanel Daniela Beyruti (11 de julho de 1976- ) (casada) Marcelo Beyruti, empresário
Patrícia Abravanel (4 de outubro de 1977- ) (casada) Phillipe Carrasco, filho dos fundadores da Igreja Vida Nova (2004 a 2010); Marcos Faria, empresário e filho do banqueiro Aloysio Faria (2010 a 2012); Fabio Faria, deputado federal e filho do político Robinson Faria (desde 2013)
Rebeca Abravanel (23 de dezembro de 1980- ) (divorciada) Leonardo Cid Ferreira, empresário e filho do ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira (2004 a 2011); Guilherme Mussi, deputado federal (2015 a 2016)
Renata Abravanel (1986- ) (casada) Caio Curado, empresário (desde 2015)
Wilma Marques Hugo Sergio Marques (9 de Junho de 1956-18 de Janeiro de 2015)

Links Externos

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License